Dear reader,
You may have noticed that we’ve changed domains from Minestories to Solid Ground online, a name that more inclusively reflects our broad range of solutions for the mining and rock excavation industries. Rest assured, you’ll still be able to read and watch the ground-breaking content you’ve come to expect. Thanks for visiting.

<p>Os preços das commodities mostraram sinais de recuperação em 2016, como é o caso do minério de ferro, que teve um aumento de quase 100% no início do ano.</p>
Mostrar legendaOcultar legenda

Os preços das commodities mostraram sinais de recuperação em 2016, como é o caso do minério de ferro, que teve um aumento de quase 100% no início do ano.

Corrida das commodities

A corrida das commodities no final de 2016 reativou a atividade de exploração no mundo.

Depois de uma série de baixos preços de commodities, 2016 mostrou o que o setor de mineração espera serem os primeiros sinais de recuperação. Os preços aumentaram em uma ampla variedade de commodities, impulsionados principalmente pela demanda da China.

O carvão foi uma das commodities com melhor desempenho – o preço do carvão metalúrgico, um ingrediente-chave na produção de aço, que custava US$ 80 por tonelada no início do ano, atingiu um pico de mais de US$ 300. O valor do minério de ferro subiu para quase US$ 80 por tonelada em novembro, um aumento de 100% em relação ao preço do início do ano. A recuperação surpreendente dos preços no final de 2016 reativou a atividade de exploração e espera-se que leve a um aumento geral da produção.

Com os preços mais altos, as minas de carvão na Austrália, Canadá e Moçambique, que foram desativadas quando os preços estavam abaixo de US$ 100 em 2015, voltaram à atividade. Dois dos maiores grupos de mineração do mundo, BHP Billiton e Rio Tinto, disseram que esperam ver aumentos nos volumes de produção de carvão metalúrgico e minério de ferro em 2017.