Dear reader,
You may have noticed that we’ve changed domains from Minestories to Solid Ground online, a name that more inclusively reflects our broad range of solutions for the mining and rock excavation industries. Rest assured, you’ll still be able to read and watch the ground-breaking content you’ve come to expect. Thanks for visiting.

Transformação no sal

HEILBRONN, ALEMANHA. Após 120 anos de extração por perfuração e desmonte, uma das maiores minas de sal da Europa Ocidental migrou para a mineração contínua. A mudança para um método mais silencioso em áreas urbanas prolongou a vida útil da mina por muitos anos.

O céu azul se eleva acima das instalações de superfície na mina de sal Heilbronn da Südwestdeutsche Salzwerke AG. A área industrial fica a apenas três quilômetros do centro de Heilbronn, uma cidade de 125.000 habitantes, a cerca de 50 km de Stuttgart.

A mina de Heilbronn é uma das primeiras operações industriais de sal da Europa. Os equipamentos tocaram o primeiro sal-gema em 1881. A mineração começou em 4 de dezembro de 1885 – feriado do dia de Santa Bárbara, comemorado por mineiros em países ao redor do mundo – e a operação se tornou uma das principais produtoras de sal-gema e sal evaporado para comércio, indústrias e clientes farmacêuticos, para manutenção de estradas no inverno e para uso doméstico desde então.

A mina pode extrair e içar mais de 4,5 milhões de toneladas de sal bruto a cada ano. David Saage, chefe de Departamento da Unidade de Sal-Gema, conta que a volatilidade do mercado causada pelo clima representa um desafio.

“Somos dependentes dos negócios de inverno”, explica. “Quando não há neve, as vendas caem. Quando a neve chega, a demanda do mercado aumenta. Manter um processo contínuo com tanta volatilidade é um desafio. Quando neva, temos um volume maior de sais de degelo, e precisamos de uma certa flexibilidade na frota de equipamentos.”

Por 120 anos, o depósito de sal da Heilbronn foi extraído exclusivamente usando métodos convencionais de perfuração e desmonte. Muitas das centenas de quilômetros de túneis que compõem a mina de Heilbronn hoje ficam abaixo das áreas residenciais da cidade. Em 2005, a mina buscou trocar a perfuração e desmonte por um método de mineração mais silencioso.

A Heilbronn decidiu implementar o corte mecânico, introduzindo seu primeiro minerador contínuo Sandvik MB770 em maio de 2006. O desempenho do equipamento era comprovado em carvão, mas nunca havia sido usado em uma mina de sal. A introdução da mineração contínua também exigiu ajustes no transporte e na infraestrutura da mina.

A mina encomendou o segundo Sandvik MB770 em dezembro de 2008 e o terceiro em 2011.

Südwestdeutsche Salzwerke AG

Fundada em 1883, a Südwestdeutsche Salzwerke AG é uma das principais produtoras de sal da Europa. A empresa produz sal-gema e sal evaporado para clientes comerciais, industriais e farmacêuticos, de manutenção de estradas no inverno e de uso doméstico, incluindo a famosa marca alemã Bad Reichenhaller. A Südwestdeutsche Salzwerke AG emprega cerca de 1.000 pessoas em quatro locais em Baden-Württemberg e Baviera. A cidade de Heilbronn e o estado de Baden-Württemberg possuem uma participação de 49% na empresa, cada, enquanto os 2% restantes são ações em circulação.

A mineração contínua não apenas eliminou o tempo de inatividade anteriormente necessário para a liberação de gás de detonação como também minimizou a necessidade de britar o sal extraído. Cada minerador contínuo pode escavar mais de 100.000 toneladas por mês.

A Heilbronn conta com três Sandvik MB770s para cortar o sal-gema. Um minerador contínuo é deslocado para a face trabalhada e um caminhão ejetor Sandvik TH540 dá marcha à ré até a posição sob o sistema de transporte do minerador contínuo, que enche o caminhão e leva o sal até o transportador.

O operador Marvin Traub, que opera mineradores contínuos em Heilbronn há sete anos, aprecia a sequência de corte automático do Sandvik MB770.

“Apenas ocasionalmente temos que cortar à mão”, afirma. “A máquina sempre corta um metro. E sempre vai um metro para a frente. Nós definimos três cortes para que sejam feitos 33 centímetros por corte e, depois de um metro, você avança um metro com o equipamento para, em seguida, ligar o modo automático e começar do início novamente.”

Traub também conduz o Sandvik TH540 de tempos em tempos e prefere ele aos caminhões de 30 toneladas da mina.

<p>David Saage, chefe de Departamento da Unidade de Sal-Gema da mina Heilbronn, da Südwestdeutsche Salzwerke AG.</p>

David Saage, chefe de Departamento da Unidade de Sal-Gema da mina Heilbronn, da Südwestdeutsche Salzwerke AG.

<p><span lang=Sandvik TH540.

" />

Sandvik TH540.

<p><span lang=Operador Marvin Traub.

" />

Operador Marvin Traub.

“Você dirige de frente, não como nos outros caminhões”, diz. “Com eles, você está de lado, semelhante a uma carregadeira subterrânea. Aqui, dirigimos olhando para a frente. Somente ao dar marcha à ré é necessário usar a câmera e os espelhos. O Sandvik TH540 é uma excelente combinação para o Sandvik MB770.”

A Heilbronn ainda opera três de seus quatro mineradores contínuos Sandvik e adquiriu recentemente um quinto. O primeiro Sandvik MB770 da mina agora está em exibição no museu em Bad Friedrichshall. De maio de 2006 a março de 2016, a unidade extraiu cerca de 8 milhões de toneladas de sal-gema, percorrendo mais de 110.000 metros.

Heilbronn ainda utiliza perfuração e desmonte em algumas partes da mina que não estão diretamente abaixo das áreas urbanas para compensar picos sazonais na demanda de sal. Furos de sete metros são perfurados e cada desmonte produz mais de 1.000 toneladas de sal-gema. As carregadeiras Sandvik transportam o sal extraído para o britador, que o brita para que possa ser transportado.

A Heilbronn opera quatro Sandvik LH621, uma Sandvik LH517, uma Sandvik LH514 e uma Sandvik LH307.

“O critério mais importante para os fornecedores é a confiabilidade em termos de disponibilidade, ergonomia e longa vida útil dos equipamentos”, destaca Saage, que trabalha na mina Heilbronn há dez anos. “A disponibilidade é a maior prioridade. Equipamentos que não estão funcionando são supérfluos. E os da Sandvik provaram ser muito confiáveis na Heilbronn.”

Sandvik MB770

O Sandvik MB770 foi projetado para uma variedade de tarefas de mineração contínua em operações sem carvão ou gás, com até 5,3 metros de altura. O minerador contínuo de cabeça larga combina recursos especiais para corte, carregamento e ventilação em uma máquina robusta com altas taxas de avanço. Uma cabeça de corte com rotação lenta gera menos poeira e menos vibrações. O ciclo de corte programável e automatizado garante um corte preciso, enquanto o sistema de visualização e registro de dados otimiza ainda mais o desempenho.