Dear reader,
You may have noticed that we’ve changed domains from Minestories to Solid Ground online, a name that more inclusively reflects our broad range of solutions for the mining and rock excavation industries. Rest assured, you’ll still be able to read and watch the ground-breaking content you’ve come to expect. Thanks for visiting.

<p>A experiência de longa data de Henrik Ager na mineração o torna excepcionalmente qualificado para reduzir pela metade o impacto operacional de CO2.</p>
Mostrar legendaOcultar legenda

A experiência de longa data de Henrik Ager na mineração o torna excepcionalmente qualificado para reduzir pela metade o impacto operacional de CO2.

Liderança sustentável

Desde que assumiu a presidência da Sandvik Mining and Rock Technology, em abril de 2019, Henrik Ager realiza suas funções e defende que sua visão estratégica de operações mais sustentáveis ​​seja colocada em prática. Veterano da indústria de mineração, ele compartilha com a Solid Ground os planos para guiar sua Área de Negócios rumo a um futuro mais sustentável.

É possível alcançar práticas comerciais sustentáveis, crescimento de longo prazo e forte estratégia de negócios simultaneamente?

Com certeza. Dividimos nossas iniciativas de sustentabilidade em quatro áreas essenciais, de acordo com as metas de negócios: reduzir CO2 ou gases de efeito estufa (GEE); circularidade, que obviamente impacta as emissões de CO2, pois quanto mais reutilizamos, menos precisamos produzir; segurança, ou zero danos às pessoas, que sempre foi nossa prioridade; e compliance. Para zero danos às pessoas e compliance já temos práticas maduras. Já circularidade e redução de GEE, embora façamos muito, não formalizamos tanto quanto poderíamos. Atualmente, o setor de mineração e pedreiras responde por 3% a 4% do consumo global de energia. Assim, quanto mais energeticamente eficientes forem nossos equipamentos, menores as emissões por quilo de produção, o que ajuda a limitar o consumo de energia. O que vendemos e ajudamos nossos clientes a usar são produtos e soluções que os tornam mais produtivos; isso permite que usem menos combustível e eletricidade para a mesma quantidade de produção. Esse é o maior impacto que podemos ter em GEE: ajudar nossos clientes a serem mais produtivos.

Então, você está dizendo que ser mais sustentável é ser mais produtivo?

Claro. E isso serve tanto para nossos clientes quanto para nossas operações internas. Podemos ser mais eficientes em termos de GEE com mais eficiência energética e também usando fontes de energia sustentáveis.

Quão importante é a sustentabilidade para o sucesso de longo prazo?

A sustentabilidade é fundamental para o desempenho de longo prazo com nossos clientes e também como empresa. Para os clientes, uma abordagem agressiva é essencial. Impulsionar a produtividade e a eficiência de GEE será fundamental, porque, se não conseguirmos tornar nossos clientes mais produtivos, não sobreviveremos. 

Como empresa, temos que mostrar que abordamos isso com muita seriedade e que temos um plano para nos tornar mais sustentáveis, ajudando os clientes a se tornarem mais sustentáveis para que todo o ecossistema seja melhorado.

Quais soluções a Divisão Rock Tools criou para reduzir seus próprios resíduos e emissões?

Uma das maneiras mais determinantes de tornar nossos processos de ferramentas de perfuração de rocha mais eficientes é pela logística. Se você enviar um bit em um navio, gerará cerca de 100 vezes menos CO2 do que se enviar em um avião. Essa abordagem reduz a geração de CO2 em 10 mil toneladas, o que, em comparação com as emissões totais da Divisão, é significativo.

Quanto mais vincularmos nossas metas às metas normais de negócios e encontrarmos manei-ras de combiná-las para alcançar um bem comum, maiores serão as chances de permanecer-mos com elas

Outro foco importante para Rock Tools é minimizar as taxas de descarte. Também temos projetos em andamento em que focamos na geração e recuperação de calor – em que recuperamos o calor usado na produção e redistribuímos para aquecer nossos edifícios durante o inverno. E, obviamente, vamos olhar para o uso de fontes de energia mais ecológicas.

Como a Sandvik Mining and Rock Technology pode estabelecer metas agressivas sem sacrificar a sua credibilidade?

Do meu ponto de vista, em todas as quatro áreas de foco – compliance, zero danos a pessoas, redução de GEE e circularidade, quanto mais vincularmos nossas metas a metas comerciais normais e encontrarmos maneiras de combiná-las para alcançar um bem comum, maiores as chances de atingí-las. Quando há metas de sustentabilidade que não estão ancoradas na empresa, o risco de elas serem deixadas de lado cresce em tempos difíceis.

Como a Sandvik Mining and Rock Technology adaptará suas ofertas para criar um modelo mais sustentável?

Há muitos exemplos. Trabalhamos e estamos nos concentrando na circularidade e na eficiência de GEE. Como mencionei, desenvolvemos constantemente produtos e soluções para ajudar nossos clientes a serem mais produtivos. Fizemos isso por 150 anos e continuaremos a fazer, mas um dos ramos realmente interessantes que lideramos é a automação. Equipamentos automatizados tendem a ser mais produtivos; quebram menos, duram mais e produzem mais com a mesma quantidade de energia. Assim, você obtém a mesma produção com menos emissões de GEE.

No digital, onde podemos capturar cada vez mais informações, analisá-las e usá-las para melhorar as operações, acabamos de começar. Continuaremos usando dados e análises para encontrar maneiras melhores de fazer e ajudar nossos clientes a usarem equipamentos de maneira produtiva, durando mais e usando menos combustível. Depois, há a eletrificação, que possibilita retirar o diesel das minas, especialmente de ambientes de mineração subterrânea. Conhecemos os riscos para a saúde associados ao diesel, portanto, se pudermos colocar veículos elétricos em operações subterrâneas, reduziremos a necessidade de ventilação, economizando energia e dinheiro.

Ager acredita que a sustentabilidade anda de mãos dadas com a produtividade.

Ager acredita que a sustentabilidade anda de mãos dadas com a produtividade.

Você vai liderar pessoalmente a iniciativa de reduzir pela metade o impacto de CO2 na Área de Negócios. O que isso implicará?

Se começarmos com o básico, nossas operações garantirão os planos de melhorias para reduzir as emissões de GEE. Vamos colocar isso como critério essencial ao desenvolver novos produtos e soluções e, assim, ter eficiência e reciclagem de GEE como aspectos essenciais de P&D.

Esse também será um dos critérios para selecionar novos fornecedores. Onde temos as maiores oportunidades, no entanto, é com os clientes. Eu quero que a Sandvik Mining and Rock Technology quantifique o impacto de GEE que nossos produtos têm e as economias que eles podem obter com nossas soluções.

Também podemos desempenhar um papel mais ativo no setor. Atualmente, ocupamos a posição CEO do conselho consultivo no Conselho Internacional de Mineração e Metais e precisamos aproveitar essa posição para ajudar a impulsionar o tema, usando nosso papel como líder para ajudar a mudar a indústria, e o mundo, para melhor.

Você pode falar sobre a abordagem da Sandvik Mining and Rock Technology para a iniciativa de Objetivos Globais da ONU?

Os objetivos da ONU para 2030 fazem muito sentido para nós. Temos que lembrar que as metas para 2030 são apenas alguns passos no caminho para a mudança climática. Devemos nos apropriar, assumir responsabilidade e agir para garantir que todos os passos sejam dados na direção certa. Nós estabelecemos nossas metas para 2030 e 11 anos podem parecer muito, mas, em muitos aspectos, não é. Nossa ambição é alta e pretendemos fazer uma mudança na indústria. Selecionamos sete metas da ONU, mas o importante é definir a ambição geral de sustentabilidade com o quadro completo em mente.