Dear reader,
You may have noticed that we’ve changed domains from Minestories to Solid Ground online, a name that more inclusively reflects our broad range of solutions for the mining and rock excavation industries. Rest assured, you’ll still be able to read and watch the ground-breaking content you’ve come to expect. Thanks for visiting.

Uma nova frota para Lady Loretta

MOUNT ISA, QUEENSLAND. A automação e o monitoramento de equipamentos estão ajudando a Redpath Australia a superar expectativas na mina Lady Loretta da Glencore, uma das operações de zinco de maior qualidade do mundo.

A Glencore concedeu à Redpath Austrália o contrato da mina Lady Loretta em dezembro de 2017, abrangendo todas as operações subterrâneas e de superfície e a gestão de instalações associadas. As responsabilidades da Redpath vão desde a britagem do material extraído e o carregamento até as instalações de processamento da Glencore em Mount Isa, passando ainda pela gestão do alojamento à manutenção dos jardins.

A Redpath também detém total responsabilidade estatutária pela operação, uma função única para uma empreiteira normalmente encarregada de desenvolvimento e produção.

A amplitude desde escopo intrigou John McKinstry, gerente de Operações da Redpath para o Projeto Lady Loretta. McKinstry administrou minas em toda a Austrália e América do Norte ao longo de sua carreira de 30 anos.

“Operar uma mina é empolgante para a Redpath”, conta McKinstry, executivo de Unidade da Lady Loretta. “Um escopo normal seria o desenvolvimento e/ou produção, ou uma tarefa específica, mas temos um escopo muito mais amplo aqui. , A infraestrutura já está instalada, então o papel da empreiteira é bem diferente. Um contrato que envolve a vida útil total da mina é incomum por si só. A maioria das minas evolui à medida que você desenvolve e encontra mais minério, mas essa jazida é muito bem definida.”

Redpath

O Grupo Redpath fornece soluções completas de mineração em mais de 30 países desde sua fundação, em 1962. Os serviços da Redpath incluem abertura de túneis, poços, raiseboring, contratos de operação de minas, produção e desenvolvimento, engenharia e serviços técnicos e uma variedade de serviços especializados. A empresa tem mais de 6.100 colaboradores em todo o mundo e escritórios regionais na Austrália, Canadá, Chile, Alemanha, Indonésia, Mongólia, África do Sul, Estados Unidos e Zâmbia.

A Redpath recomissionou a mina alguns meses depois de ganhar o contrato, dando início à primeira rodada de desenvolvimento em março de 2018. O ramp up da produção foi rápido e, em julho de 2018, a Redpath estava atendendo às metas de produção e desenvolvimento da Glencore. A produção mensal cresceu para 100.000 toneladas, com uma capacidade total de produção de 133.000 toneladas por mês.

A duração do contrato permitiu à Redpath investir em uma nova frota para a Lady Loretta.

“Queríamos atender/superar as metas desde o início, por isso trouxemos uma nova tecnologia de ponta para minimizar os custos operacionais e maximizar a produtividade, sabendo que temos um bom tempo para trabalhar com o equipamento e amortizar os ativos”, explica McKinstry.

Dois jumbos Sandvik DD421 com lanças 10/16 superaram a expectativa desde o comissionamento. A Redpath alcançou consistentemente 400 metros de desenvolvimento por mês usando um Sandvik DD421, com o segundo servindo como backup e lidando com qualquer trabalho de reabilitação.

“Tivemos um excelente funcionamento dos jumbos desde que chegaram”, diz McKinstry. “Desde o primeiro dia, superamos as expectativas que tínhamos.”

O material é removido por uma frota de quatro carregadeiras Sandvik LH621. Duas são operadas convencionalmente para desenvolvimento, produção manual e carregamento de caminhões, enquanto as outras são equipadas com o AutoMine Lite para operação remota.

“Acho que a LH621 é a que mais chama a atenção de todos por ser usada em operações maiores”, afirma McKinstry. “É uma grande máquina. Muito produtiva e confortável para os operadores, e ter o AutoMine significa que ela realmente se vende de muitas maneiras.”

É uma máquina muito produtiva e confortável para os operadores, e ter o AutoMine significa que ela realmente se vende.

A motivação da Redpath para implementar o carregamento automático a partir da superfície era simples: recuperar a produtividade perdida durante cada troca de turno.

“Há um longo período entre um desmonte e a entrada da equipe na mina”, lembra McKinstry. “Se pudermos operar essas máquinas a partir da superfície durante a troca de turnos, podemos ganhar até duas horas por dia em produtividade. O AutoMine também possibilita realizar as atividades sem nunca colidir com as paredes. Ele realmente executa as tarefas perfeitamente.”

A Redpath opera três níveis ao mesmo tempo, otimizando o processo de carregamento.

<p>O operador Tony Rosvall valoriza a capacidade de mapeamento do AutoMine e a segurança aprimorada de operar a carregadeira remotamente.</p>

O operador Tony Rosvall valoriza a capacidade de mapeamento do AutoMine e a segurança aprimorada de operar a carregadeira remotamente.

<p>O Grupo Redpath forneceu soluções completas de mineração em mais de 30 países desde sua fundação, em 1962.</p>

O Grupo Redpath forneceu soluções completas de mineração em mais de 30 países desde sua fundação, em 1962.

“Isso nos permite mover de um nível com um realce já lavrado para um novo, com a possibilidade de operar remotamente ao mesmo tempo de um ambiente subterrâneo ou da superfície, o que significa que a outra unidade operada remotamente pode mover o material, e as duas podem carregar caminhões ao mesmo tempo”, diz Rafe Horsington, gerente Elétrico da Lady Loretta.

Do conforto de um local remoto em um nível próximo, o operador Tony Rosvall transporta o minério para a pilha com precisão. Ele gosta muito do recurso de mapeamento do AutoMine.

“Ele pode mostrar onde você está”, conta Rosvall. “Se você chegar lá e tiver um pouco de poeira ao seu redor, pode ficar meio perdido e não saber ao certo sua localização. Com o AutoMine, você pode ver onde está, onde estão as paredes e qual o seu ângulo. Você pode saber se estiver prestes a tombar. É possível corrigir, se necessário, o que é muito bom.”

Com a rede Wi-Fi estabelecida na mina subterrânea, a conectividade não apenas permitiu que a Redpath implementasse o carregamento automatizado a partir da superfície, como também monitorar e gerenciar sua frota em tempo real através do My Sandvik Productivity, a versão baseada em nuvem do OptiMine Monitoring. 

O OptiMine tem sido sinônimo de monitoramento de equipamentos na mineração australiana desde sua primeira instalação, em 2014. O monitoramento de frota móvel My Sandvik Productivity permite que a Redpath acompanhe as condições dos equipamentos online e aja mais rapidamente para solucionar quaisquer problemas que surgirem.

A solução fornece dados detalhados e prontamente analisados. Cada carregadeira conectada coleta os dados e transmite-os quando chega ao alcance do Wi-Fi. Os dados podem ser acessados ​​de qualquer computador ou tablet.

O monitoramento de condições ajuda o gerente de Manutenção da Lady Loretta, Shane Timothy, e sua equipe a melhorarem o planejamento de manutenção preditiva. O My Sandvik Productivity também identifica tendências de comportamentos que podem danificar equipamentos ou diminuir a vida útil dos componentes, revelando oportunidades de treinamento.

Mina Lady Loretta

A mina de zinco de alta qualidade Lady Loretta está localizada a 110 km de Mount Isa. A produção começou em 2013 e a mina passou por cuidados e manutenção em 2015 antes do seu reinício em março de 2018. A Redpath opera a mina com uma equipe de 227 pessoas. Com capacidade nominal de minério de 1,6 milhão de toneladas, a Lady Loretta pode produzir até 160.000 toneladas de zinco por ano ao longo de sua vida útil restante de seis anos.

“Quando ele traz dados, informações sobre falhas e alarmes, ele mostra o que isso significa”, explica Timothy. “Assim, você pode passar o mouse sobre seus ícones, por exemplo, onde aponta que há uma falha no freio, e você é informado que seu operador talvez esteja pressionando o pedal do acelerador e o do freio ao mesmo tempo, o que não é algo que queremos que ele faça, a menos que esteja a uma velocidade muito baixa.”

A McKinstry acredita que ter operadores bem informados, que entendam seus equipamentos e suas limitações, reduzirá o tempo de inatividade.

“Esperamos que, ao dar aos operadores o feedback, eles mudem seu comportamento na operação das máquinas”, ressalta McKinstry. “E se pudermos resolver de forma preditiva, acredito que teremos uma melhor disponibilidade desse equipamento.”

Timothy vê um grande potencial no monitoramento de equipamentos.

“A oportunidade de acessar em tempo real e verificar exatamente onde essa carregadeira está a qualquer momento, ver como nossos colaboradores estão operando o equipamento, se estão operando de forma eficaz e eficiente, e ser capaz de captar essas pequenas melhorias se algo não estiver do jeito que deve estar, e então ser capaz de compartilhar esse conhecimento em toda a nossa frota, isso vai impulsionar melhorias em toda a mina”, destaca Timothy. “Isso ajudará a manter nossos preços baixos e nossa produtividade alta.”